Skip to Content
avatar image
Former Member

B2B Incoming - SPROXY

Pessoal,

Estamos integrando o processo de B2B Inbound do GRC junto ao R/3.

Assim que é dada a entrada da mercadoria na empresa, precisamos consultar o status da NFe junto a SEFAZ. Caso o XML já tenha sido enviado pelo fornecedor, teríamos essa informação no GRC na tabela /XNFE/XMLIN, pois a consulta já foi realizada pelos cenários standard NFB2B_WebAS_Inbound_B2B_NFe e NFESC_WebAS_Outbound_NFe_Status_Check.

Contudo, se o XML ainda não foi enviado e para consultar o status novamente, foi criada uma interface Síncrona com base na interface NFESC (herdando os objetos do SWCV Standard SLL-NFE). A função /XNFE/005_NFE_STATUS_OUT não atende nossa necessidade, porque a interface chamada por ela é assíncrona.

O problema é que não é possível refletir essas alterações no SPROXY do GRC. Até já existe a interface Outbound NFESC_nfe_ConsultaNF_SYNC_OB no SPROXY, mas não consigo encontrar esse objeto no PI.

Existe alguma forma de regerar o PROXY do GRC, pois qualquer outra interface que for criada no PI também teria o mesmo problema? Vocês sugerem alguma alternativa para consultar o status da nota e ter o resultado de imediato?

Li na OSS Note 1456108 do SP14 que o Proxy é atualizado com novas interfaces de comunicação com a SEFAZ, dentre essas já existe alguma que faça essa consulta síncrona (estamos no SP12)?

Diogo Oliveira

Add comment
10|10000 characters needed characters exceeded

  • Get RSS Feed

2 Answers

  • Jul 02, 2010 at 12:19 AM

    Bom dia Diogo,

    Não é um caso de regerar os proxies do GRC pois eles não mudarão para te atender.

    O que você precisa é se basear nos objetos standard e criar seu Z que faça a consulta de forma síncrona e gerar um novo ABAP Proxy.

    Veja a mesma dúvida:

    Atenciosamente, Fernando Da Ró

    Add comment
    10|10000 characters needed characters exceeded

  • Jul 02, 2010 at 04:33 AM

    Diogo, 2 pontos:

    1. como falado pelo Fernando, vc nao vai regerar um proxy std. Vc vai criar sua propria interface em seu SWCV custom specific (que pode ter dependencia no SLL-NFE, para herdar os objetos e te evitar de duplicar coisas, tipo mapping e external definitions) e gerar o proxy para essa interface em seu SWCV (pra ver seu SWCV na SPROXY, vc precisa cria-lo no SLD e adiciona-lo ao Business System do GRC).

    2. se o objetivo é só restartar a consulta, nao sei pq vc precisa de uma outra interface. Poderia simplesmente restartar o check do status da nfe utilizando a mesma logica q a logica do codigo standard que chama a /xnfe/nfe_status_out. Ou vc quer que o retorno da SEFAZ gere alguma resposta para o R/3? Se sim, dai realmente precisa de um Z (ou fazer um enhancement na /xnfe/nfe_status_in).

    Abs,

    Henrique.

    Add comment
    10|10000 characters needed characters exceeded

    • Former Member Former Member

      Diogo,

      não sei se isso ainda é dúvida, mas o que aparece mesmo no fim das contas na sproxy é o software component. Você tem um bs, um ts, um product e um (ou mais) software components. É esse último que aparece com os namespaces pra vc criar os proxies pras message interfaces.

      Um abraço!

      Waldemar